ismael latrocinio

Polícia civil conclui investigação sobre latrocínio

Destaques, Polícia

A Polícia Civil de Cacoal concluiu as investigações sobre o desaparecimento de Ismael Lopes, ocorrido no dia 07.03.2017. A vítima teria saído de Cacoal com destino a um velório, porém não chegou ao seu destino. O veículo que Ismael estava, uma motocicleta Honda Fan 150 de cor preta, foi abandonada no bairro Village do Sol II dois dias depois do seu desaparecimento.

ismael latrocinio

A vítima ficou desaparecida por 24 dias quando foi encontrado seu corpo no dia 31.03.2017 nas imediações da RO 383. Foram constatadas duas perfurações na cabeça e além da motocicleta que havia sido abandonada, os documentos e celular da vítima também foram subtraídos.

Ismael foi vítima de crime de roubo seguido de morte (latrocínio). A intenção dos agentes era apenas subtrair a motocicleta e seus pertences, porém, durante a assalto um dos agentes falou o nome de comparsa que acabou executando a vítima.

 A Investigação descobriu que Ueslei de Souza Ferreira arquitetou todo o crime e que foi ele quem atirou na vítima, Ueslei teria corrompido o então adolescente R. G. (17 anos) a praticar o roubo junto com ele, mas o menor acabou pronunciando o nome de Ueslei.

No decorrer das investigações Ueslei continuou em sua vida criminosa e acabou sendo preso em flagrante pela Polícia Militar no dia 19.06.2017, quando após tentar roubar uma motocicleta as vítimas manobraram para fugir e foram alvejadas pelo infrator. Ueslei já cumpria pena por um crime de roubo ocorrido em 2014. Também foi Ueslei quem abandonou a moto da vítima entre os bairros Village do Sol II e Residencial Pina dois dias depois do crime.

As investigações apontaram ainda que o infrator agia sempre da mesma forma, qual seja, abordava suas vítimas em rodovias intermunicipais, objetivando subtrair-lhe os veículos  mediante ameaça, ora simulando que o seu próprio veículo estava quebrado, ora adentrando a via e apontando armas de fogo em direção às vítimas.

Com a conclusão do inquérito policial foi requerida ao Poder Judiciário a prisão preventiva do investigado, dado o seu grau de periculosidade e reiteração criminosa, tendo a medida sido deferida pelo juízo desta comarca e cumprida nesta data. Também foi instaurado Procedimento de Apuração de Ato Infracional a fim de se apurar a conduta do adolescente envolvido, conforme preceitua o Estatuto da Criança e do Adolescente.

 

 

Fonte: Polícia Civil de Cacoal

Deixe uma resposta